Ashram Vrajabhumi

Ashram Vrajbhumi - Teresópolis - RJ

Ashram Vrajabhumi – Teresópolis, RJ

Ashram é um lugar onde tudo contribui favoravelmente para a reflexão e a meditação. Localizado num vale encantador em meio às montanhas aprazíveis de Teresópolis – e longe dos estímulos da cidade que tanto agitam a mente −, o Ashram Vrajabhumi foi projetado cuidadosamente para oferecer uma alternativa ideal àqueles que buscam “Vida Simples e Pensamento Elevado”. Há vinte e cinco anos esse lugar tem contribuído para que milhares de pessoas introspectivas se afastem – por quanto tempo quiserem – da confusão da vida artificial moderna. Afinal, para repensar a vida, nada melhor do que descansar o corpo, tranquilizar a mente e alimentar o intelecto com boas conversas.

Retiro Espiritual de Yoga
Quando se fala em retiro espiritual logo pensamos numa experiência delimitada em tempo e espaço. Alguns dias de paz e introspecção num lugar calmo e retirado… Momentos espirituais que certamente deixarão saudades assim que tenhamos que voltar para nossas vidas externas, não-retiradas e nem um pouco tranquilas. Mas o verdadeiro propósito de um retiro espiritual não é constituir uma vivência agradável perdida em nossa memória, uma experiência que ansiamos repetir no próximo ano. Como seres espirituais que efetivamente somos, não nos destinamos a viver vidas materiais e às vezes experimentar instantes espirituais, mas a viver vidas espirituais mesmo lançados na mais absurda confusão material. Esse é o propósito do Ashram Vrajabhumi. Proporcionar ao visitante um contato profundo com a milenar sabedoria védica e conduzi-lo por uma inesquecível jornada de autoconhecimento. Quem de fato somos? De onde viemos? A que nos destinamos? São essas apenas algumas das perguntas que o nosso programa de retiro espiritual se propõe a responder. Ajudando o visitante a compreender sua verdadeira natureza como alma espiritual e auxiliando-o a refazer seu elo perdido com Deus, nosso retiro espiritual ultrapassa os limites teóricos para reensinar os visitantes a agirem como almas espirituais. Naturalmente, sem sequer perceberem, os visitantes são convidados a praticar o mais elevado e sublime método de yoga, a bhakti-yoga, cantando e dançando ao som de mantras, ouvindo belas narrações das escrituras védicas, saboreando alimento espiritual ou simplesmente desfrutando de agradáveis conversas sobre temas espirituais. Numa convivência amiga e despretensiosa, os visitantes aos poucos são iniciados nos mistérios de como transformar o mais corriqueiro ato cotidiano numa profunda experiência espiritual. Aprendendo a arte de espiritualizar todos os seus pensamentos, palavras e ações, o visitante se capacita a enxergar o mundo com novos olhos e a transformar sua vida num eterno retiro espiritual.

Canto de Mantras

Segundo os Vedas, a mente é a central emocional da nossa existência, reunindo todos desejos, pensamentos e sentimentos produzidos ao longo da nossa vida. E da mesma forma que nosso corpo biológico possui um fogo digestivo responsável pelo processamento dos alimentos, similarmente possuímos um fogo mental chamado managni, que digere nossas emoções, e a produção de sentimentos egoístas faz com que ele seja reduzido e perca sua força, ocasionando assim tantos males cada vez mais frequentes, tais como a depressão, o estresse e a perda da autoconfiança. Para restaurar o managni, libertar a mente de qualquer condição negativa e permitir que ela possa gerar pensamentos puros, os Vedas prescrevem o cantar dos mantras, combinações sonoras que por conterem os nomes de Deus têm a potência de reviver a natureza espiritual da alma.

Podemos praticar o cantar dos mantras de três formas distintas:

Japa-mala

O praticante utiliza um rosário formado por 108 contas, entoando de forma silenciosa e introspectiva o mantra em cada uma delas. Um verdadeiro exercício espiritual, que propicia a auto-observação, estimula um profundo estado reflexivo e desenvolve o discernimento.

Bhajan

Uma sessão de meditação com mantras recitados de forma melodiosamente harmônica, com acompanhamento instrumental.

Kirtan

Ashram Vrajabhumi - Kirtan
Ashram Vrajabhumi – Kirtan

Uma animada modalidade de canto de mantras performada enquanto se dança coletivamente. Nesta celebração todos podem interagir com os demais, compartilhando sua alegria e intercambiando experiências inesquecíveis.

Arati

Ashram Vrajabhumi - Arati
Ashram Vrajabhumi – Arati

Como sabemos, a mente não trabalha sozinha, senão que é fortemente influenciada pelos estímulos externos captados pelos sentidos e depois transmitidos a ela. Para ocupar os sentidos no processo de meditação, selecionando as informações que eles captam e criando o ambiente ideal para a mente se absorver nos sons dos mantras, existe a bela cerimônia de arati. Durante o arati diferentes artigos representando os elementos materiais, tais como incenso, água e flores, são ofertados a Deidade de Krishna e depois são distribuídos entre os participantes. A essência desta cerimônia consiste no fato de que a matéria também é uma energia divina e quando ela é conectada a Deus é tão poderosa e purificadora quanto a energia espiritual.

Bhagavad-gita

Livro Bhagavad-Gita
Livro Bhagavad-Gita

Diferentes motivações podem nos conduzir na busca pela espiritualidade: aflições pessoais, necessidades econômicas, curiosidade… Mas definitivamente a sabedoria é o único meio seguro e estável pelo qual pode-se avançar substancialmente rumo a conexão com Deus. Uma vez que o conhecimento sempre pode ser aprofundado, aquele que vincula sua fé ao conhecimento tem a garantia de que ela será sempre enriquecida com novas e refrescantes percepções práticas, até o ponto em que se tornará forte e inabalável. Para transmitir o mais sublime conhecimento espiritual, o Senhor Krishna, a Personalidade de Deus, veio a Terra há cinco mil atrás, quando orientou seu discípulo e amigo Arjuna no momento mais angustiante de sua vida. Na eminência de uma guerra na qual teria que combater seus parentes e amigos, o guerreiro Arjuna confessou sua incapacidade de lidar com seu sofrimento e insegurança e para iluminá-lo Krishna lhe explicou a base de toda a filosofia da alma, tratando de tópicos como o eu, Deus, a ilusão, o karma, a esmagadora e inevitável influência do tempo e os diferentes tipos de yoga. As instruções de Krishna foram registradas no grande clássico literário “Bhagavad-gita” (literalmente, “A Canção de Deus”), e apesar de milenares, permanecem atemporais e podem tocar e transformar o homem contemporâneo.

Srimad-Bhagavatam

Um argumento ontológico dos Vedas é que não é possível encontrar nesse mundo um produto cujos atributos não sejam verificados em sua fonte. Então, da mesma forma que todos seres vivos possuem consciência, individualidade e personalidade, tais características necessariamente devem estar presentes na Alma Suprema. E a consequência natural de se possuir personalidade é que se executa atividades e se estabelece relacionamentos. Logo, por essa lógica, Deus também tem uma forma, qualidades, preferências… No Srimad-Bhagavatam, através de uma emocionante compilação de contos, podemos acompanhar os relatos das atividades pessoais de Krishna e de seus grandes devotos, compreendo assim os aspectos mais sutis do conhecimento espiritual e da sua aplicação prática.

Prasada

Ashram Vrajabhumi - Prasada
Ashram Vrajabhumi – Prasada

Nos Vedas, o corpo é chamado de anna-maya-kosha, a cobertura feita de grãos, uma vez que a alimentação é a base de todas as atividades biológicas. Mesmo uma criança enquanto está experimentando e conhecendo o mundo, tem por hábito levar tudo a boca. Assim, naturalmente a espiritualidade deve começar pela língua! Krishna explica na Bhagavad-gita que os alimentos ingeridos interferem diretamente na mentalidade. Então, da mesma forma que alimentos obtidos através de violência irão estimular a ira e outros sentimentos baixos, aqueles obtidos de forma pacífica e consagrados a Deus como um ato de agradecimento irão contribuir para a formação de uma personalidade serena e nobre. Tais alimentos vegetarianos são chamados prasada (literalmente, misericórdia) e estão inteiramente livres de qualquer karma. Uma forma deliciosa e prática de praticar yoga!

Cerimônia de Queima do Karma

Ashram Vrajabhumi Cerimonia de Queima de Karma
Ashram Vrajabhumi Cerimonia de Queima de Karma

Imagine a seguinte situação: um homem se encontra sendo torturado, tendo sua cabeça repetidamente sendo submersa em um poço. Quando a cabeça é definitivamente suspensa, ele pode por fim respirar e sente um prazer imenso por isso, sentindo-se inclinado a revelar as informações requeridas pelo seu algoz. Para qualquer um de nós que tem respirado com tranquilidade, esse é um ato neutro, nada especialmente gratificante. Mas como o torturado estava sofrendo, ele interpretou a interrupção deste sofrimento como prazer. Só que de fato, não houve nenhum benefício real por ele ter ficado suspenso, pois nada impede que a cabeça dele volte para o fundo do poço… Analogamente, toda ação que executamos com algum interesse pessoal gera uma reação, chamada karma. Se uma ação é negativa, gera um karma negativo, que implicará em algum revés no futuro. Uma ação positiva, mas motivada egoisticamente (como dar uma caridade esperando o reconhecimento por isso) gerará um karma positivo, que criará uma situação desfrutável, porém fará com que se continue preso ao ciclo de nascimentos e mortes neste mundo terreno, aonde sempre é possível voltar a se obter karmas negativos e os incômodos deles derivados… Na analogia, o que o torturado deve fazer para conseguir ser feliz é primeiro conquistar sua liberdade, escapando da sala de tortura. Da mesma forma, para que possamos obter felicidade que supre as expectativas da alma, devemos antes nos tornarmos livres do karma. Um dos métodos oferecidos pelos Vedas para auxiliar nesta empreitada é a sagrada agni-hotra, ou cerimônia do fogo, na qual uma bela arena composta de uma fogueira e diversos tipos de vegetais são dispostos simetricamente e um sacerdote alimenta o fogo sagrado, enquanto diversos mantras em homenagem aos mestres espirituais e a Deus são entoados docemente. No final de cada oração, todos arremessam um punhado de arroz, que simboliza o karma, na fogueira. Esta ceri<mônia cria uma egrégora muito favorável para a recepção do conhecimento transcendental, que é a verdadeira chama que incinera definitivamente todo karma.

Deixe um Comentário